sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mãe!

Hoje te vejo,querida mãe envelhecida,
e te vejo frágil,tão cristalina
como uma menina surpreendentemente
enrugadinha...

Hoje te vejo,e em teu desamparo
me inspiras o mesmo cuidado que meus filhos....
Hoje te vejo,mãe,e me pergunto
onde se escondeu tua força de leoa,
teu brilho em obscuras circunstancias
e a paixão com que incendiavas
cada um de teus dias?

Depois descubro sem assombro
que se encontram em mim,querida mãe menina,
que os legaste a mim para sempre
que se instalaram em minha alma,
para me ajudar a ser eu mesma.
Melhor que eu mesma:parecida contigo!